Implantação de protocolo de assistência ao parto normal por enfermeiras obstetras em modelo colaborativo:

relato de experiência

Autores

Palavras-chave:

Parto normal, Protocolos clínicos, Parto humanizado, Enfermagem obstétrica

Resumo

Objetivo: descrever a implantação de um protocolo para assistência ao parto normal por enfermeiras obstetras no modelo colaborativo em um hospital público de grande porte de Porto Alegre/RS. Método: estudo descritivo, do tipo relato de experiência, baseado na implantação de um protocolo para assistência ao parto normal por enfermeira obstetra em um hospital público. Observou-se os aspectos éticos em pesquisa, preservando o nome da instituição e dos participantes da experiência. Descrição da experiência: o protocolo assistencial foi criado em três etapas. Primeiro, organizou-se o fluxo de atendimento ao trabalho de parto e parto. Definiu-se que as parturientes em fase ativa do trabalho de parto, e com ausência de fatores de risco para o parto, serão distribuídas para assistência da equipe obstétrica de acordo com a proporção 1:1 (medicina:enfermagem obstétrica). Após, definiu-se os critérios que indicam fator de risco da gestante para o parto, a fim de delimitar os casos em que a assistência ao parto não deverá ser conduzida pela enfermeira obstetra. Ao final, validou-se o conteúdo do protocolo com a equipe multiprofissional do centro obstétrico da instituição. Discussão: o modelo colaborativo de assistência é uma recomendação das Boas Práticas do Parto e Nascimento e a implantação do protocolo reforça a visão integrativa e interdisciplinar do parto, assim como o protagonismo da mulher. Conclusão: sistematizar a distribuição da equipe obstétrica na assistência ao parto normal de risco habitual foi uma estratégia para garantir a atuação da enfermeira obstetra de acordo com uma realidade local. A implementação de protocolos assistenciais semelhantes em outras instituições pode contribuir para a qualificação do trabalho interdisciplinar e consolidar a atuação da enfermeira obstetra na assistência ao parto, proporcionando resultados benéficos para mulheres e recém-nascidos.

Biografia do Autor

Raquel Vieira Schuster, Grupo Hospitalar Conceição (GHC)

Mestre em enfermagem pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Enfermeira Obstetra e preceptora da Residência em Enfermagem Obstétrica no Hospital Nossa Senhora da Conceição/GHC. Professora da Escola de Saúde da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-8021-1443. Lattes: http://lattes.cnpq.br/1894147570278083. E-mail: enfschuster@gmail.com

Agnes Ludwig Neutzling, Grupo Hospitalar Conceição (GHC)

Mestra em Saúde Coletiva pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos-UNISINOS. Enfermeira Obstetra no Hospital Nossa Senhora da Conceição/GHC. Professora da Escola de Saúde da UNISINOS. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-6796-4750. Lattes: http://lattes.cnpq.br/4681707470441759. E-mail: ati.ludwig@gmail.com

Dinara Dornfeld, Grupo Hospitalar Conceição (GHC)

Mestre em Enfermagem pelo Programa de Pós Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Supervisora dos Programas Atenção Materno-Infantil e Obstetrícia e Enfermagem Obstétrica da Residência Multiprofissional em Saúde GHC. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-7566-4966. Lattes: http://lattes.cnpq.br/2666072122885531. E-mail: dinara@ghc.com.br.

Camila Borba da Luz, Grupo Hospitalar Conceição (GHC)

Mestre em enfermagem pela Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre. Enfermeira Obstetra no Hospital Nossa Senhora da Conceição/GHC. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-2922-2232. Lattes: http://lattes.cnpq.br/4742988105411839. E-mail: milaborb@gmail.com

Carolina de Castilhos Teixeira Canassa, Grupo Hospitalar Conceição (GHC)

Mestre em Enfermagem pelo Programa de Pós Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Enfermeira Obstetra no Hospital Nossa Senhora da Conceição. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-6412-9661. Lattes: http://lattes.cnpq.br/2429837262920105. E-mail: carolina_castilhos@hotmail.com

Gregório Corrêa Patuzzi, Grupo Hospitalar Conceição (GHC)

Especialista em Atenção Materno-Infantil e Obstetrícia pela Residência Multiprofissional em Saúde do Grupo Hospitalar Conceição. Enfermeiro Obstetra no Hospital Nossa Senhora da Conceição/GHC. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-5358-0916. Lattes: http://lattes.cnpq.br/8409763430943677. E-mail: gregorio.patuzzi@hotmail.com

Simone Konzen Ritter, Grupo Hospitalar Conceição (GHC)

Mestre em Enfermagem pelo Programa de Pós Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Enfermeira Obstetra no Hospital Nossa Senhora da Conceição/GHC. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-7623-6461. Lattes: http://lattes.cnpq.br/7065424345282956. E-mail: siritter@icloud.com

Referências

ALVES TCM, et al. Contribuições da Enfermagem Obstétrica para as Boas Prática no Trabalho de Parto e Parto Vaginal. Enferm Foco [Internet], v. 10, n. 4, p. 54–60, 2019. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/2210/605. Acesso em: 03 ago. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Humanização do Parto e do Nascimento. Brasília: Ministério da Saúde, 2014. Disponível em: http://www.redehumanizasus.net/sites/default/files/caderno_humanizasus_v4_humanizacao_parto.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

BRASIL, Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde. Diretriz Nacional de Assistência ao Parto Normal. Brasília: Ministério da Saúde, 2016. Disponível em: http://conitec.gov.br/images/Consultas/2016/Relatorio_Diretriz-PartoNormal_CP.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

FREIRE HSS, et al. Parto Normal Assistido por Enfermeira: experiência e satisfação de puérperas. Rev Enferm UFPE [Internet]. v. 11, n. 6, p. 2357–67, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/23398/19057. Acesso em: 03 ago. 2021.

GAMA SGN, et al. Labor and Birth Care by Nurse with Midwifery Skills in Brazil. Reprod Health [Internet]. v. 13, n. 1, p. 226–65, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1186/s12978-016-0236-7. Acesso em: 03 ago. 2021.

LEAL MC, et al. Intervenções Obstétricas durante o Trabalho de Parto e Parto em Mulheres Brasileiras de Risco Habitual. Cadernos de Saúde Pública [online]. v. 30, n. Suppl 1, p. S17-S32, 2014. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/8763/1/Intervenções%20obstétricas%20durante%20o%20trabalho.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

MACIEL VS; DORNFELD D. A Inserção da Enfermeira Obstétrica na Assistência Hospitalar ao Parto. Enferm Foco [Internet]. v. 10, n. 4, p. 148–52, 2019. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/979/618. Acesso em: 03 ago. 2021.

RITTER SK; GONÇALVES ADC; GOUVEIA HG. Práticas Assistenciais em Partos de Risco Habitual. Acta Paulista de Enfermagem [online], São Paulo, v. 33, p. 1-8, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ape/v33/1982-0194-ape-33-eAPE20180284.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

SANDALL J; SOLTANI H; GATES S; SHENNAN A; DEVANE D. Midwife-led continuity models versus other models of care for childbearing women. Cochrane Database Syst Rev., 2016. Disponível em: https://doi.org/10.1002/14651858.CD004667.pub5. Acesso em: 03 ago. 2021.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. WHO recommendations: intrapartum care for a positive childbirth experience. Geneva: WHO, 2018. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/260178/1/9789241550215-eng.pdf?ua=1%0Ahttp://www.who.int/reproductivehealth/publications/intrapartum-care-guidelines/en/. Acesso em: 03 ago. 2021.

Publicado

2021-11-22

Como Citar

VIEIRA SCHUSTER, R.; LUDWIG NEUTZLING, A.; DORNFELD, D.; BORBA DA LUZ, C.; DE CASTILHOS TEIXEIRA CANASSA, C.; CORRÊA PATUZZI, G.; KONZEN RITTER, S. Implantação de protocolo de assistência ao parto normal por enfermeiras obstetras em modelo colaborativo:: relato de experiência. Cadernos de Ensino e Pesquisa em Saúde, v. 1, n. 01, p. 146-159, 22 nov. 2021.

Edição

Seção

Diálogos com a Sociedade

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##