Ações de Educação Permanente no Contexto da Pandemia COVID-19 na Pediatria:

Relato de Experiência

Autores

Palavras-chave:

Educação Continuada, Segurança do Paciente, Pediatria, Gestão de Riscos, Qualidade da Assistência à Saúde

Resumo

Introdução: Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a promoção de ações educativas nos serviços de saúde se tornou ainda mais desafiadora. Por isso, para se adequar ao novo cenário pandêmico, a Gestão de Risco Assistencial e o Núcleo de Educação Permanente de um hospital pediátrico buscaram promover atividades in loco com pequenos grupos, a fim de qualificar a assistência prestada às crianças hospitalizadas. Objetivo: Discorrer sobre a experiência de profissionais na promoção de ações voltadas à educação permanente das equipes de um hospital pediátrico de referência durante a pandemia COVID-19. Método: Estudo descritivo, do tipo relato de experiência. Resultados: Diante das adversidades enfrentadas na pandemia, a promoção de ações de educação permanente tornou o cuidado mais seguro para o paciente e para o profissional. Os esforços para capacitar as equipes se tornaram realidade em um cenário que remodelou a lógica dos processos de trabalho e a relação de aprendizagem dos profissionais. Ao todo, as ações promovidas resultaram em mais de 2.500 horas de formação profissional individual. Conclusão: Pouco se tem discutido sobre as potencialidades da educação permanente na atenção terciária além da COVID-19. A experiência da promoção de ações educativas proporcionou a reflexão crítica sobre a realidade institucional e demonstrou que as mesmas são fundamentais para a qualificação do cuidado desenvolvido pelos profissionais de saúde, devendo ser prática contínua na instituição.

Biografia do Autor

Victoria Tiyoko Moraes Sakamoto, Grupo Hospitalar Conceição (GHC)

Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre. Enfermeira da Gestão de Risco Assistencial do Hospital Criança Conceição.

Fernanda de Avila Carvalho Neves, Grupo Hospitalar Conceição (GHC)

Acadêmica de Enfermagem da FACTUM. Estagiária da Gestão de Risco Assistencial do Hospital Criança Conceição.

Stephanie Greiner, Grupo Hospitalar Conceição (GHC)

Farmacêutica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, atuante na Gestão de Risco Assistencial do Hospital Criança Conceição e Hospital Nossa Senhora da Conceição.

Bruna Biondani Wortmann, Grupo Hospitalar Conceição (GHC)

Acadêmica de Farmácia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Estagiária da Gestão de Risco Assistencial do Hospital Criança Conceição e Hospital Nossa Senhora da Conceição.

Priscila Coelho Amaral, Grupo Hospitalar Conceição (GHC)

Médica pela Universidade Federal de Pelotas, atuante na Gerência de Internação e Gestão de Risco Assistencial do Hospital Criança Conceição.

Blessane Lipski, Grupo Hospitalar Conceição (GHC)

Enfermeira pela Universidade Federal do Paraná, atuante no serviço de Educação Continuada do Hospital Criança Conceição.

Referências

BRASIL. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. 2009. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_educacao_permanente_saude_fortalecimento.pdf. Acesso em: 13 ago. 2021

BRASIL. RESOLUÇÃO No 510, DE 07 DE ABRIL DE 2016, 2016. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf. Acesso em: 21 set. 2021.

BRASIL. Portaria de Consolidação no 2, de 28 de setembro de 2017, anexo XL. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde, 28 set. 2017. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prc0002_03_10_2017.html. Acesso em: 21 set. 2021.

CAMPOS, D. B. et al. Reflexões sobre a pandemia COVID-19 e ações de educação permanente em enfermagem num hospital. Glob Acad Nurs, v. 1, n. 3, p. e:50, 2020.

FORSETLUND, L. et al. Continuing education meetings and workshops: effects on professional practice and health care outcomes. Cochrane Database of Systematic Reviews, 15 abr. 2009.

FRANÇA, T. et al. Política de Educação Permanente em Saúde no Brasil: a contribuição das Comissões Permanentes de Integração Ensino-Serviço. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n. 6, p. 1817–1828, jun. 2017.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

HARTLEY, H.; SMITH, J. D.; VANDYK, A. Systematic Review of Continuing Education Interventions for Licensed Nurses Working in Psychiatry. The Journal of Continuing Education in Nursing, v. 50, n. 5, p. 233–240, maio 2019.

MACÊDO, N. B. DE; ALBUQUERQUE, P. C. DE; MEDEIROS, K. R. DE. O desafio da implementação da educação permanente na gestão da educação na saúde. Trabalho, Educação e Saúde, v. 12, n. 2, p. 379–401, ago. 2014.

NICOLETTO, S. C. S. et al. Desafios na implantação, desenvolvimento e sustentabilidade da Política de Educação Permanente em Saúde no Paraná, Brasil. Saúde e Sociedade, v. 22, n. 4, p. 1094–1105, dez. 2013.

OGUISSO, T. A educação continuada como fator de mudanças: visão mundial. Nursing (edição brasileira). v. 3, n. 20, p. 22–29, 2000.

OMS, O. M. DE S. Atualizações contínuas sobre a doença coronavírus (COVID-19). 2020.

PUGGINA, C. C. et al. Educação Permanente em Saúde: instrumento de transformação do trabalho de enfermeiros. Espaç. saúde (Online), v. 16, n. 4, p. 87–97, 2015.

SALES, C. B. et al. Protocolos Operacionais Padrão na prática profissional da enfermagem: utilização, fragilidades e potencialidades. Rev. Bras. Enferm., v. 71, n. 1, p. 126–134, 2018.

SILVA, V. B. DA et al. Educação permanente em saúde: o cuidado seguro à criança hospitalizada. Rev Recien, v. 10, n. 32, p. 332–339, 2020.

SOUSA-MUNOZ, R. L. DE; SOUSA, E. S. S. Educação na saúde para o fortalecimento do SUS. João Pessoa: Editora UFPB, 2020.

Publicado

2021-11-22 — Atualizado em 2021-11-22

Como Citar

MORAES SAKAMOTO, V. T.; DE AVILA CARVALHO NEVES, F.; GREINER, S.; BIONDANI WORTMANN, B.; COELHO AMARAL, P.; LIPSKI, B. Ações de Educação Permanente no Contexto da Pandemia COVID-19 na Pediatria:: Relato de Experiência. Cadernos de Ensino e Pesquisa em Saúde, v. 1, n. 01, p. 174-184, 22 nov. 2021.

Edição

Seção

Diálogo com a Sociedade